bc

Estudar é um caminho seguro para o sucesso! 

ELETRICIDADE

C

Administração  Agropecuária  Brechó  Contos  Culinária Cultura   Downloads grátis  Eletrônica  Esotérico  Esportes Genealogia Idiomas   Links  Loteria  Notícias Petróleo Saude  Solidariedade  Teatro 
Antena Microondas  Antena Parabólica  Antenas  Aparelhos de som   Ar Condicionado  Dicas Eletricidade  Dicas Eletrônicas  Eletricidade  ELETRÔNICA  Eletrônica digital  Eletrotécnica  Energia Eólica  Energia Solar  Energias alternativas  Esquemas elétricos  Games  Informática  Instalações elétricas   Manutenção de celulares  Manutenção de HD  Manutenção de Impressoras  Manutenção de Monitores  Manutenção de PC  Manutenção de TV  Microondas  Notebooks  Palmtops  Rádios   Tablet   Telefones  TV Digital

ELETRICIDADE

A eletricidade é um fenômeno físico originado por cargas elétricas estáticas ou em movimento e por sua interação. Quando uma carga se encontra em repouso, produz forças sobre outras situadas à sua volta. Se a carga se desloca, produz também forças magnéticas.  Há dois tipos de cargas elétricas, chamadas positivas e negativas. As cargas de nome igual se repelem e as de nome distinto se atraem. 
 A eletricidade está presente em algumas partículas sub-atômicas. A partícula mais leve que leva carga elétrica é o elétron, que transporta uma unidade de carga (cargas elétricas de valor menor são tidas como existentes em quarks). Os átomos em circunstâncias normais contêm elétrons, e freqüentemente os que estão mais afastados do núcleo se desprendem com muita facilidade. Em algumas substâncias, como os metais, proliferam-se os elétrons livres. Desta maneira, um corpo fica carregado eletricamente graças à reordenação dos elétrons. Um átomo normal tem quantidades iguais de carga elétrica positiva e negativa, portanto é eletricamente neutro. A quantidade de carga elétrica transportada por todos os elétrons do átomo, que por convenção são negativas, está equilibrada pela carga positiva localizada no núcleo. Se um corpo contém um excesso de elétrons ficará carregado negativamente. Ao contrário, com a ausência de elétrons, um corpo fica carregado positivamente, devido ao fato de que há mais cargas elétricas positivas no núcleo.
Eletricidade é a passagem de elétrons em um condutor. Bons condutores são: ouro, prata e alumínio. Já a porcelana, o plástico, o vidro e a borracha são bons isolantes. Isolantes são materiais que não permitem o fluxo da eletricidade.
Chama-se corrente elétrica o fluxo ordenado de elétrons em uma determinada secção. A corrente contínua tem um fluxo constante, enquanto a corrente alternada tem um fluxo de média zero, ainda que não tenha valor nulo todo o tempo. Esta definição de corrente alternada implica que o fluxo de elétrons muda de direção continuamente. O fluxo de cargas elétricas pode gerar-se em um condutor, mas não existe nos isolantes. Alguns dispositivos elétricos que usam estas características elétricas nos materiais se denominam dispositivos eletrônicos. A Lei de Ohm descreve a relação entre a intensidade e a tensão em uma corrente elétrica: a diferença de potencial elétrico é diretamente proporcional à intensidade de corrente e à resistência elétrica.
Energia elétrica: Junto com as energias mecânica, química e térmica, a eletricidade compõe o conjunto de modalidades energéticas de uso habitual. De fato, como conseqüência de sua capacidade de ser transformada de forma direta em qualquer outra energia, sua facilidade de transporte e grande alcance através das linhas de alta tensão, a energia elétrica se converteu na fonte energética mais utilizada no século XX.
O CHOQUE ELÉTRICO
Uma corrente de 20mA (miliampère) que passa pelo corpo humano pode ser fatal. Para que isso ocorra a corrente elétrica deve entrar e sair pela epiderme, de alta resistência. No interior do corpo ela encontra no sangue um eletrólito de baixa resistência. A corrente que passa de um ponto a outro num mesmo dedo, ou de uma mão à outra é a mesma, ou quase, para uma dada voltagem. Uma corrente de valor considerável que atravessa o corpo humano provoca algo que se costuma designar por "choque elétrico"
Relâmpago e trovão
Durante uma tempestade, verificou-se que ocorre uma separação de cargas elétricas, ficando as nuvens mais baixas eletrizadas negativamente enquanto que as mais altas, positivamente. Desta forma, tem-se a existência de um campo elétrico entre as duas nuvens. Entre as nuvens mais baixas e a Terra também tem-se a existência de um campo elétrico. À medida que as cargas vão se acumulando nas nuvens, a intensidade desse campo elétrico aumenta de tal valor, que a região entre as nuvens (ar) torna-se um condutor. Ocorrendo isso, uma enorme centelha elétrica (relâmpago) salta de uma nuvem para outra ou de uma nuvem para a Terra. Esta descarga elétrica aquece o ar ao seu redor, provocando uma expansão que se propaga em forma de onda sonora, originando o trovão. 


Links recomendados: Educação, EletrônicaGenealogia, Informática, Petróleo, Restaurante, Solidariedade, Teatro