bc

Estudar é um caminho seguro para o sucesso! 

ERVAS MEDICINAIS

Fonte básica de nossa alimentação.

Administração  Agropecuária  Brechó  Contos  Culinária Cultura   Downloads grátis  Eletrônica  Esotérico  Esportes Genealogia Idiomas   Links  Loteria  Notícias Petróleo Saude  Solidariedade  Teatro 
agricultura   agroecologia   agroindústria   agronegócios   Apicultura  Aves domésticas  Avestruz  Biogás  Camarão   Codornas  Compostagem  Ervas medicinais  Fogão a lenha  Hidroponia  Horta  Incubadora  Pavão e Faisão  Piscicultura  Queijos  Ranicultura  Tomate seco

ERVAS MEDICINAIS

Coleta e princípios ativos
Princípios Ativos - Substâncias que vão atuar como medicinais. Provenientes do metabolismo secundário das plantas e suas funções fisiológicas, estão divididos em vários grupos de acordo com suas funções e estrutura química.O óleo essencial é o mais importante sob o ponto de vista econômico, embora signifique apenas 0,1 % das plantas. São líquidos, evaporam sem deixar resíduos, peso específico menor que a água, insolúveis em água, incolores.

 

Coleta - A época ideal para coleta de folhas, flores e caules é o início da floração. A parte subterrânea (raiz/rizoma) deve ser coletada na estação seca (outono-inverno).
Princípios ativos encontrados nas plantas:
1.Gomas - Formam soluções adesivas se colocadas em água quente. Propriedade emulsionante e estabilizante
2.Mucilagens: São semelhantes às gomas do ponto de vista químico. Mas com água formam solução coloidal, viscosa e não adesiva.Principal ação é como antiinflamatória das mucosas, pois forma uma camada protetora, diminuindo as irritações locais. Em contato com água aumentam de volume, e apresentam efeito laxativo. Não deve sofrer ebulição prolongada, pois o calor diminui atividade biológica.
3. Pectina ou substancias pécticas. São armazenadas em maiores quantidades nos frutos. Produção de geléias e antidiarréicos.
4.Taninos: substâncias adstringentes (travosas) encontradas na maioria das plantas medicinais. Sua ação manifesta-se pela por uma retração do tecido lesado e precipitado de proteínas, formando uma camada protetora que possibilita o processo de cicatrização associado a uma ação hemostática e antidiarréica. São bastante solúveis em água e álcool. Não dever sofrer processo de fervura prolongado e podem ser usados interna e externamente.
5. Glicosídios - Subst freqüentes no reino vegetal, composta por uma fração açúcar e outra não açúcar (genina). De acordo com a estrutura da genina, os glicosídios podem ser classificados:
5.1- Glicosídios Salisílicos- Os primeiros descobertos foram os salicina, encontrados nas cascas das árvores Salix e Populus, próximas aos cursos de rios em climas frios. Ação anti-reumática e anti-pirética.
5.2- Glicosídios cianogéticos. Estão presentes em várias famílias (rosácea,leguminosas, euforbiáceas) e quando hidrolisados liberam ácido cianídrico ou prússico, daí a ação de toxicidade.
5.3- Glicosídios Cardiotônicos e cardioativos - grupos de substâncias mais importantes na terapêutica. São encontrados em vegetais e não foi produzido ainda seu equivalente sintético. Trata-se de substâncias capazes de regularizar os distúrbios funcionais do aparelho circulatório, reforçando a atividade cardíaca insuficiente e restabelecendo a distribuição normal do volume sanguíneo nas artérias e veias.
5.4- Glicosídios antraquinônicos- Ação purgante ou laxante. Excita os movimentos peristálticos do intestino grosso. Deve ser usada com moderação.
5.5- Glicosídios flavonóides - São encontrados em muitas famílias botânicas, usualmente mais concentradas em folhas e flores. Ação: diurética, antiinflamatória, antiespasmódica, ação tônica sobre o coração e circulação venosa.
5.6- Glicosídios sulfurados - Encontrados em algumas famílias( crucíferas,tropeoláceas e liliáceas) e se caracterizam por conter enxofre em suas moléculas. Ação anti-séptica e estimulante estomacal, consumidos em saladas. Aplicação tópica pode causar irritação e vaso dilatação.
5.7- Glicosídios cumarínicos - subs. difundida no reino vegetal.
6.Saponina- substancia orgânica que faz espuma quando agitada com água e se parece com sabão.Tóxicas se injetadas diretamente na corrente sanguínea.
7. Alcalóides- é amarga e tóxica.
8.Lactonas sesquiterpênicas - Substancias amargas encontradas quase sempre na família das compostas. Algumas são citostáticas, antiinflamatórias e antimicrobianas. Reações alérgicas e dermatites estão associadas a essas substâncias.
9.Óleos essenciais - substancias líquidas, oleosas,voláteis e aromáticas.
10. Resinas- produtos das secreções de células resiníferas, presentes em algumas plantas das famílias das coníferas e leguminosas, que exsudam mediante incisões.
11.Óleo-resina- substancias naturais de consistência espessa, produtos de secreção da planta. Constituídas por 'óleos essenciais e resinas. ppdes anti-sépticas das vias respiratórias ou alucinogênicas, como no caso da cannabis.
12. Componentes minerais- encontrados em quase todas as plantas e indispensáveis aos processos vitais humanos, com ação reconstituinte e oxidante. São indispensáveis para a atividade da maioria das enzimas.
13. Vitaminas: Vitaminas hidrossolúveis do grupo B ( B1,B2,B6,B12, C,P) e lipossolúveis do grupo A (A,D,E,K).
Modo de preparar as ervas
Infuso - Usado para órgãos delicados da folha, flor e fruto. Proporção 5 g de erva para cada 100 ml de água. Tampar e repousar de 10 a 15 minutos
Decocto - Usado para órgãos mais duros como raiz, casca e lenho. Proporção: a mesma do infuso. Colocar a erva na água e ferver em fogo baixo durante 5 a 20 minutos de acordo com o caso. Repouso de 5 a 10 minutos.
Tintura - Para 100 ml de tintura colocar 10 g de erva seca (ou 20 g fresca) e triturar no liquidificador com 80 ml de álcool, cuja graduação deve variar de 50 a 80 graus, Transferir para vidro escuro e deixar em repouso por 5 dias, agitando de vez em quando. Coar e ir acondicionando mais álcool até completar 100 ml. Proporção de erva no álcool é de 20%, duração de 1 ano.
Maceração - Feita em temperatura ambiente, colocar a planta finamente dividida em contato com líquido extrator (álcool de 40 a 80 graus) em recipiente de aço inoxidável por período de até 4 semanas. Após esse período o macerado deve ser prensado e filtrado. Usado para folhas frescas ou secas, fruto seco ou raízes frescas. Mesmas doses da tintura. Este processo preserva melhor as vitaminas e sais minerais

FAÇA O DOWNLOAD GRÁTIS DO EBOOK SOBRE O ASSUNTO: Clique Aqui



Links recomendados: Educação, EletrônicaGenealogia, Informática, Petróleo, Restaurante, Solidariedade, Teatro