bc

Estudar é um caminho seguro para o sucesso! 

ECONOMIA

A ciencia da produção e do consumo.

Administração  Agropecuária  Brechó  Contos  Culinária Cultura   Downloads grátis  Eletrônica  Esotérico  Esportes Genealogia Idiomas   Links  Loteria  Notícias Petróleo Saude  Solidariedade  Teatro 
Capitalismo  Ciclos Economicos Conceitos de Economia  Economia  História da Economia  Informática  Macroeconomia  Marketing  Microeconomia  Neoliberalismo  Organização Economica  Política Economica  Socialismo  Teorias do Capital  Tipos de Economia 

ECONOMIA

Economia é a ciência social que estuda a produção, distribuição, e consumo de bens e serviços. É a ciência que estuda as formas de comportamento humano resultantes da relação existente entre as ilimitadas necessidades a satisfazer e os recursos que, embora escassos, se prestam a usos alternativos. Escassez significa que os recursos disponíveis são insuficientes para satisfazer todas as necessidades e desejos. Estando ausentes a escassez dos recursos e a possibilidade de fazer usos alternativos desses recursos, não haverá problema econômico.

INTRODUÇÃO À ECONOMIA

1. Evolução das ciências econômica
A economia é considerada uma ciência social porque a ciência social estuda a organização e o funcionamento das sociedades assim, pode-se dizer que a Ciências Econômicas ocupa-se do comportamento humano, e estuda como as pessoas e as organizações na sociedade se empenham na produção, troca e consumo dos bens e serviços.
2. Problemas econômicos básicos
A economia estuda a relação que os homens têm entre si na produção dos bens e serviços necessários à satisfação dos desejos e aspirações da sociedade.
Ocorre que as necessidades humanas são infinitas e ilimitadas. Isto porque, o ser humano pela sua própria natureza, nunca está satisfeito com que possui e sempre deseja mais coisas.
Por outro lado, os recursos produtivos que a sociedade conta para efetuar a fabricação de bens e serviços, têm caráter finito ou limitados.
Há, portanto, uma contradição, os desejos e necessidade da sociedade são ilimitados e os recursos para efetivar-se a produção dos bens e serviços que devem atendê-los são limitados.
Isso nos leva a seguinte proposição:
Por mais rica que a sociedade seja, os fatores de produção serão sempre escassos para efetivar a fabricação de todos os bens e serviços que essa mesma sociedade deseja. Ela terá que efetuar escolhas sobre quais os bens e serviços deverão ser produzidos, da mesma forma que os homens, contanto com os salários de determinado valor, não pode naturalmente consumir todos os bens e serviços que deseja, devendo escolher entre eles quais poderão adquirir e que estejam ao alcance de sua renda.
Portanto, a ciência econômica é aquela que estuda a escassez ou que estuda o uso dos recursos escassos na produção de bens alternativos.
3. Métodos de investigações na economia
Os métodos científicos caracterizam-se pelo raciocínio lógico e são classificados em indutivos ou dedutivos.
INDUTIVO - É um método de raciocinar que parte de fatos particulares para se chegar a conclusões gerais.
DEDUTIVO - É um método de raciocinar que parte de premissas gerais para conclusões específicas.
4. Divisão usual da economia
Microeconomia – preocupa-se em explicar o comportamento econômico das unidades individuais de decisão representadas pelos consumidores, pelas empresas e pelos proprietários de recursos produtivos.
Macroeconomia – estuda o comportamento da economia como um todo. Estuda o que determina e o que modifica o comportamento de variáveis agregadas tais como a produção total de bens e serviços, as taxas de inflação e de desemprego, o volume total de poupança, as despesas totais de consumo, as despesas totais de investimento, e as despesas totais de governo.
5. Sistema econômico
É a forma como a sociedade esta organizada para desenvolver as atividades econômicas de produção, circulação, distribuição e consumo de bens e serviços.
6. Fluxos econômicos numa economia de mercado
Numa versão simplificada do funcionamento de uma economia de mercado, há de se distinguir dois agentes econômicos fundamentais: as unidades produtivas ou empresas e as unidades consumidoras ou famílias.
 2008 e a crise econômica mundial
O grupo dos 14 países com as maiores economias representam 80 por cento da economia mundial e podem tomar decisões, já que existe a intenção comum de fazer deste Super-G um instituto regulador da economia mundial. Participam EUA, Japão, Grã-Bretanha, Alemanha, França, Canadá e Rússia pelo G-8 e os demais são: Egito, Índia, China, África do Sul, México e o Brasil. A iniciativa é do Premier italiano Silvio Berlusconi.
Entenda a evolução da crise que atinge a economia mundial.
Bancos de diversos ramos: investimentos, varejo, hipotecas, nos Estados Unidos e em outros países, principalmente a Europa, já sofreram prejuízos bilionários e em alguns casos fecharam, desde agosto do ano passado. A raiz do problema está no mercado de hipotecas norte-americano.
1- Imóveis valorizados: Com os juros baixos e crédito farto, os preços dos imóveis nos EUA tiveram forte valorização, encorajando mutuarios a refinanciar suas hipotecas. Os bancos davam aos mutuários uma diferença em dinheiro, utilizada para consumir.
2- Títulos Lastreados: Para captar dinheiro, os bancos criaram instrumentos financeiros complexos chamados títulos lastreados em hipotecas e venderam para investidores que também emitiram seus próprios títulos lastreados nesses títulos e passaram-nos para frente, espalhando-os por todo o sistema bancario.
3- Juros altos e quedas dos preços: As taxas de juros começaram a subir para combater a inflação enquanto os preços dos imóveis passaram a cair, fazendo com que as mensalidades da casa própria ficassem mais caras. A inadimplencia disparou e, assim, os títulos que eram garantidos por essas hipotecas perderam valor.
4- Perda dos bancos: Além dos prejuizos com a inadimplencia, os bancos tiveram fortes perdas com os titulos. Os bancos com maiores problemas se viram à beira da falencia e precisaram da ajuda do Governo americano.
Crise de confiança: Instalou-se uma grave crise de confiança e os bancos não querem mais emprestar, com medo de calotes.

FAÇA O DOWNLOAD GRÁTIS DO EBOOK SOBRE O ASSUNTO: Clique Aqui


Links recomendados: Educação, EletrônicaGenealogia, Informática, Petróleo, Restaurante, Solidariedade, Teatro